Revista Brasileira de Gestao Ambiental e Sustentabilidade (ISSN 2359-1412)
Bookmark this page

Home > Edições Anteriores > v. 7, n. 15 (2020) > Ferraz

 

Vol. 7, No 15, p. 269-282 - 30 abr. 2020

 

Educação ambiental e correntes epistemológicas: análise dos parques nacionais da Região Sudeste do Brasil



Amanda Lorena Assis Ferraz , Natália Oliveira Dias , Mirelly Manica , Thallita Mayra Soares Fernandes e Wanderley Jorge da Silveira Júnior

Resumo
O presente trabalho teve por objetivo analisar quais correntes epistemológicas influenciam as ações, atividades, projetos e programas de educação ambiental nos parques nacionais da Região Sudeste do Brasil. Para tanto, foi realizada uma revisão bibliográfica sobre artigos científicos que abordaram este contexto, bem como foram verificados como os planos de manejo destas unidades norteiam a educação ambiental. Os dados foram analisados após o estudo das 15 correntes político-ideológicas sobre educação ambiental. Concluiu-se que são escassos projetos sobre a temática e que existe uma bipolarização entre as correntes conservadora e crítica, em detrimento das outras 13, perdendo-se assim a oportunidade de desenvolver projetos que atendam as especificidades locais.


Palavras-chave
Educação; Áreas protegidas; Conservação da Natureza.

Abstract
Environmental education and epistemological currents: Analysis of national parks in the Southeast Region of Brazil. This study aimed to analyze what epistemological currents have influence in the environmental education actions, activities, projects, and programs in Brazilian national parks in the Southeast Region. For this purpose a bibliographic review on scientific articles that addressed this context was carried out, and were verified how the management plans of these units guides the environmental education. The data were analyzed after studying the fifteen political-ideological policies currents on environmental education. It was concluded that the projects on the theme are scarce, and that there is a bipolarization between the conservative and critical currents in detriment of the other thirteen, thus leading to the loose of opportunity to develop projects that meet local specificities.


Keywords
Education; Protected areas; Nature conservation.

DOI
10.21438/rbgas(2020)071520

Texto completo
PDF

Referências
Almeida, A. C. F.; Costa, N. M. C. Do material ao imaginário: uma análise interpretativa das percepções ambientais dos condutores do Parque Nacional do Itatiaia (RJ). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 12, n. 2, p. 229-250, 2017. https://doi.org/10.34024/revbea.2017.v12.2408

Almeida, E. S.; Zaú, A. S.; Machado, A. S.; Oliveira, G. M. A.; Costa, V. G. Bioindicadores de impactos em trilhas em uma unidade de conservação de proteção integral (PARNA Tijuca), no domínio da Mata Atlântica. Anais do II Congresso Nacionais de Planejamento e Manejo de Trilhas e I Colóquio Brasileiro da Red Latino Americana de Denderismo, Rio de Janeiro, 2013.

Ávila, M. C. A. D. Eficácia da política ambiental em seus aspectos sociais e jurídicos, tomando por base o Parque Nacional do Itatiaia. Revista Justitia, v. 63, n. 194, p. 95-109, 2001.

Barros, M. I. A. Caracterização da visitação, dos visitantes e avaliação dos impactos ecológicos e recreativos do planalto do Parque Nacional do Itatiaia. São Pauo: USP, 2003. (Dissertação de mestrado).

Botelho, E. S. Visitação e turismo em parques nacionais: o caso do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba (RJ). Rio de Janeiro: UFRJ, 2018. (Tese de doutorado).

Brasil. Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 19 out. 2019.

Brasil. Lei no 9.795, 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9795.htm>. Acesso em: 30 nov. 2019.

Campos, R. F.; Filetto, F. Análise do perfil, da percepção ambiental e da qualidade da experiência dos visitantes da Serra do Cipó (MG). Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 4, n. 1, p. 69-94, 2011. https://doi.org/10.34024/rbecotur.2011.v4.5902

Campos, R. F.; Vasconcelos, F. C. W.; Félix, L. A. G. A Importância da caracterização dos visitantes nas ações de ecoturismo e educação ambiental do Parque Nacional da Serra do Cipó/MG. Revista Turismo em Análise, v. 22, n. 2, p. 397-427, 2011. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v22i2p397-427

Conti, B. R.; Irving, M. A.; Corrêa, F. V. Ecoturismo e proteção da natureza no Parque Nacional da Serra da Bocaina: o caso da Vila de Trindade (Paraty, RJ). Revista Brasileira de Ecoturismo, v. 4, n. 4, p. 503, 2011. https://doi.org/10.34024/rbecotur.2011.v4.5937

Costa, R. N.; Yu-Ming, J.; Sánchez, C. O encontro do cinema com a educação ambiental crítica no Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Anais do VIII Encontro Pesquisa em Educação Ambiental, 2015.

Farjalla, M. S.; Bozelli, R. L.; Loureiro, C. F. B. Justiça ambiental e reconhecimento: o caso do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Revista Floresta e Ambiente, v. 18, n. 4, p. 460-468, 2011. https://doi.org/10.4322/floram.2011.065

Fuentes, N. M. M.; Costa, R. N.; Abreu, T. B.; Ruta, C. Construção de oficinas pedagógicas com a utilização de ferramentas audiovisuais com os moradores do entorno do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Anais do VIII Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, 2011.

Góes, Y. C. B.; Pin, J. R. O.; Rodrigues, M. B. R. Análise de percepção ambiental de estudantes durante visitas guiadas no Parque Nacional da Tijuca. Anais do V Simpósio de Gestão Ambiental e Biodiversidade, 2016.

Layrargues, P. P. (Coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

Lima, G. F. C. Crise ambiental, educação e cidadania: os desafios da sustentabilidade emancipatória. In: Layrargues, P. P.; Castro, R. S.; Loureiro, C. F. B. (Orgs.). Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. São Paulo: Cortez, 2002. p. 11-12.

Loureiro, C. F. B. Educação ambiental crítica: princípios teóricos e metodológicos. Rio de Janeiro: Hotbook, 2002.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação - CNUC. 2019. Disponível em: <https://www.mma.gov.br/images/arquivos/A0_Brasil_600_DPI_02_2019.pdf>. Acesso em: 25 nov. 2019.

Niefer, I. A. Análise do perfil dos visitantes das Ilhas de Superagui e do Mel: marketing como instrumento para um turismo sustentável. Curitiba: UFPR, 2002. (Tese de doutorado).

Oliveira, M. P.; Ferreira, E.; Ribeiro, M.; Souza, J.; Richter, M. Perfil, percepção e opinião dos visitantes do Parque Nacional do Itatiaia (RJ) em períodos de maior demanda. Anais do Uso Público em Unidades de Conservação, v. 3, n. 6, p. 86-96, 2015.

Padoan, L. L. F. Turismo em unidade de conservação: um exercício de imersão no Parque Nacional do Caparaó, MG/ES. Anais do Uso Público em Unidades de Conservação, v. 3, n. 6, p. 37-51, 2015.

Quintas, J. S. Educação no processo de gestão ambiental pública: a construção do ato pedagógico. In: Layrargues, P. P. (Coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p.113-140.

Ribeiro, F. N. Tessituras da educação ambiental na Região do Caparaó Capixaba: a formação dos sujeitos engajados. Florianópolis: UFSC, 2008. (Dissertação de mestrado).

Rocha, I. L. O.; Carvalho, R. C. R.; Rocha, W. W.; Reis, M. J.; Pires, B. S. Avaliação da aplicação de carga antrópica em uma trilha no Parque Nacional da Serra da Canastra (Estado de Minas Gerais, Brasil). Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 5, n. 9, p. 291-300, 2018. https://doi.org/10.21438/rbgas.050920

Rocha, M. O potencial das trilhas ecológicas como instrumento de sensibilização ambiental: o caso do Parque Nacional da Tijuca. Revista e-Mosaicos, v. 6, n. 12, p. 81-96, 2017. https://doi.org/10.12957/e-mosaicos.2017.27916

Rodrigues, J. C. R.; Nascimento, R. S. Saber ambiental, complexidade e educação ambiental. Revista Brasileira de Educação Ambiental, v. 11, n. 5, p. 152-165, 2016. https://doi.org/10.34024/revbea.2016.v11.2363

Santos, F.; Freire, I.; Brasileiro, R.; Mussi, S. Conselho consultivo do Parque Nacional da Serra dos órgãos: um espaço efetivo de educação ambiental. Rio de Janeiro: ICMBio, 2007.

Sato, C. S. Parque Nacional Serra do Cipó, MG: percepção ambiental e estabelecimento de áreas para educação. São Paulo: USP, 2007. (Tese de doutorado).

Sauvé, L. Uma das cartografias em correntes em educação ambiental. In: Sato, M.; Carvalho, I. C. M. Educação ambiental: pesquisa e desafios. Porto Alegre: Artmed, 2005. p. 17-42.

Torres, R.; Cosenza, B. Avaliação da gestão e sustentabilidade do Parque Nacional do Caparaó (Estados de Minas Gerais e Espírito Santo, Brasil. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 4, n. 8, p. 395-417, 2017. https://doi.org/10.21438/rbgas.040813

Vainer, A. G. Conflitos ambientais em evidência na criação e manejo de um parque nacional: o caso do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. Anais do XIX Encontro Nacional do CONPEDI, 2010.


 

ISSN 2359-1412