Revista Brasileira de Gestao Ambiental e Sustentabilidade (ISSN 2359-1412)
Bookmark this page

Home > Edições Anteriores > v. 6, n. 14 (2019) > Silva

 

Vol. 6, No 14, p. 593-608 - 31 dez. 2019

 

Do global ao contexto nacional: evolução da política ambiental brasileira



Leandro Muniz Barbosa da Silva , Julio Pergentino da Silva e Maria Alice de Lira Borges

Resumo
Apesar do avanço brasileiro no tratar das questões ambientais visando à preservação e conservação da sua sociobiodiversidade, os mecanismos políticos criados para a redefinição do controle dos recursos ambientais no território do país tornam-se insuficientes frente a um contexto internacional de avanço do desenvolvimento e da crise política, socioeconômica e ambiental que assola o país, o que estimula a exploração dos recursos ambientais - desmatamento, extinção de espécies, perda de serviços ambientais e mudanças no clima. O objetivo da pesquisa foi discutir a influência da política internacional na evolução das políticas ambientais do Brasil e os retrocessos em decorrência de ações governamentais. Para tal, foram utilizadas as técnicas da pesquisa bibliográfica e análise de conteúdo para tratamento e interpretação dos dados obtidos. Foi constado um grande avanço das políticas ambientais do país ao longo das últimas cinco décadas, adequando-se as exigências mundiais estabelecidas em conferências de países integrantes da Organização das Nações Unidas (ONU), elevando o Brasil de um posicionamento bissetorial para multissetorial no tratar das questões ambientais. Contudo, esse avanço vem sendo colocado em risco devido a medidas governamentais que visam a enfraquecer a política ambiental brasileira, proporcionando maior flexibilidade para empreendedores nacionais e internacionais explorarem os recursos ambientais do país.


Palavras-chave
Relações internacionais; Recursos ambientais, Governança.

Abstract
From global to national context: Evolution of Brazilian environmental policy. Despite Brazil's progress in addressing environmental issues aimed at preserving and conserving its socio-biodiversity, the political mechanisms created to redefine the control of environmental resources in the country's territory become insufficient in the face of an international context of economic development and socioeconomical, political and evironmental crisis advancement that plagues the country, which encourages the exploitation of environmental resources - deforestation, extinction of species, loss of environmental services and climate change. The objective of the research was to discuss the influence of international politics in the evolution of the environmental politics of Brazil and setbacks due to government actions. For this reason, the techniques of bibliographic research and Content Analysis were used for treatment and interpretation of the obtained data. There has been a great advance in the country's environmental policies over the last five decades, adapting to the global requirements established in conferences of member countries of the United Nations (UN), elevating Brazil from a bisectoral to multisectoral approach in addressing environmental issues. However, this advance has been put at risk due to government measurements aimed at weakening Brazilian environmental policy, providing greater flexibility for national and international entrepreneurs to exploit the country's environmental resources.


Keywords
International relations; Environmental resources; Governance.

DOI
10.21438/rbgas.061401

Texto completo
PDF

Referências
Acselrad, H. Ambientalização das lutas sociais: o caso do movimento por justiça ambiental. Estudos Avançados, v. 24, n. 68, p. 103-119, 2010. https://doi.org/10.1590/S0103-40142010000100010

Almeida, W.; Rodrigues, D.; Santana, H. S. O posicionamento do Brasil nas negociações internacionais sobre temas de meio ambiente. Revista do Direito Público, v. 9, n. 2, p. 183-202. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/direitopub/article/view/19519>. Acesso em: 05 nov. 2018.

Bardin, L. Análise de conteúdo. rev. e atual. Lisboa: Edições 70, 2009.

Brasil. Decreto-Lei no 1.413, de 31 de julho de 1975. Dispõe sobre o controle da poluição do meio ambiente provocada por atividades industriais. Disponível em: <http://www. planalto.gov.br/ccivil_03/Decreto-Lei/1965-1988/Del1413.htm>. Acesso em: 15 nov. 2018.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil 1988. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm>. Acesso em: 15 nov. 2018.

Brasil. Lei no 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6938.htm>. Acesso em: 05 nov. 2018.

Brasil. Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 05 nov. 2018.

Brasil. Lei no 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nos 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nos 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória no 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12651.htm>. Acesso em: 15 nov. 2018.

Carson, R. L. Primavera silenciosa. São Paulo: Gaia, 2010.

Diele-Viegas, L. M.; Rocha, C. F. D. Why releasing mining on Amazonian indigenous lands and the advance of agrobusiness is extremely harmful for the mitigation of world's climate change? Comment on Pereira et al. (Environmental Science & Policy 100 (2019) 8–12). Environmental Science & Policy, v. 103, p. 30, 2020. https://doi.org/10.1016/j.envsci.2019.10.015

Ferrante, L.; Fearnside, P. M. Brazil's new president and 'ruralists' threaten Amazonia's environment, traditional peoples and the global climate. Environmental Conservation, v. 46, n. 4, p. 261-263, 2019. https://doi.org/10.1017/S0376892919000213

Gabinete de História. 1972: o Brasil na Confer&eciirc;ncia de Estocolmo. 2013. Disponível em: <http://gabinetedehistoria.blogspot.com/2013/10/1972-o-brasil-na-conferen cia-de.html>. Acesso em: 15 nov. 2018.

Greenpeace. Seis meses de Bolsonaro: ataques ao meio ambiente atingem a economia. 2019. Disponível em: <https://www.greenpeace.org/brasil/blog/seis-meses-de-bolsonaro-ataques-ao-meio-ambiente-atingem-a-economia/<. Acesso em: 15 out. 2018.

ISO - International Organization for Standardization. ISO 14000 family - Environmental management. 2015. Disponível em: <https://www.iso.org/iso-14001-environmental-management.html>. Acesso em: 15 out. 2018.

Lestienne, B. Johannesburg, ou "Rio + 10": 2a Cúpula Mundial sobre o Desenvolvimento Sustentável. 2012. Disponível em: <http://resistir.info/ambiente/johannesburg.html>. Acesso em: 15 out. 2018.

Lima, G. F. C. Gestão socioambiental: entre a técnica, a política e os conflitos sociais sobre o meio ambiente. Anais do V Encontro Nacional da ANPPAS, v. 4, 2010. Disponível em: <http://www.anppas.org.br/encontro5/cd/artigos/GT3-213-149-20100809101351.pdf>. Acesso em: 20 nov. 2018.

Machado, P. A. L. Direito ambiental brasileiro. 21 ed. Malheiros, 2011.

Maia, J. N. Francisco de Assis. 26 ed. Belo Horizonte: Fonte Viva. 2011.

Milaré, E. Direito do ambiente: a gestão ambiental em foco - doutrina, jurisprudência, glossário. 7. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2011.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. A convenção da diversidade biológica (CDB). Brasília: MMA, 2000. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/estruturas/sbf_dpg/_arquivos/cdbport.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2018.

MMA - Ministério do Meio Ambiente. Tabela consolidada das Unidades de Conservação. Brasília: CNUC/Ministério do Meio Ambiente, 2018. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/images/arquivo/80229/CNUC_JUL18 - B_Cat.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2018.

Motta, R. S. A regulação das emissões de gases de efeito estufa no Brasil. Brasília: IPEA, 2010. (Texto para discussão, 1492). Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/TDs/td_1492.pdf<. Acesso em: 05 nov. 2018.

Novaes, W. Eco-92: avanços e interrogações. Estudos avançados, v. 6, n. 15, p. 79-93, 1992. https://doi.org/10.1590/S0103-40141992000200005

ONU - Organização das Nações Unidas. A ONU e o meio ambiente. 2015. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/acao/meio-ambiente/>. Acesso em: 12 nov. 2018.

Paschoaleto, A. R.; Souza, A. P. B.; Santos, J. A.; Matheus, P. D.; Lourenço, R. V. Programa das Nações Unidas: guia de estudos. Brasília: SINUS, 2014. Disponível em: <http://sinus.org.br/2014/wp-content/uploads/2013/11/PNUMA-Guia-Online.pdf>. Acesso em: 15 out. 2018.

Pereira, E. J. A. L.; Ferreira, P. J. S.; Ribeiro, L. C. S.; Carvalho, T. S.; Pereira, H. B. B. Policy in Brazil (2016–2019) threaten conservation of the Amazon rainforest. Environmental Science & Policy, v. 100, p. 8-12, 2019. https://doi.org/10.1016/j.envsci.2019.06.001

PNUMA - Programa das Nações Unidades para o Meio Ambiente. Relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente. 2016. Disponível em: <http://web.unep.org/relatório-revela-impactos-do-comércio-mundial-no-meio-ambiente>. Acesso em: 20 jul. 2018.

Ribeiro, W. C. Globalização e meio-ambiente: a ordem ambiental internacional. México: Observatório Geográfico América Latina, 1999.

Rio de Janeiro. Decreto-Lei no 134, de 16 de junho de 1975. Dispõe sobre a prevenção e o controle da poluição do meio ambiente no Estado do Rio de Janeiro, e dá outras providências. Disponível em: <http://alerjln1.alerj.rj.gov.br/decest.nsf/83b1e 11a446ce7f7032569ba0082511c/20e029cb4455f7dc03256b6d00638572?OpenDocument/>. Acesso em: 12 nov. 2018.

Sánchez, L. E. Avaliação de impacto ambiental. São Paulo: Oficina de Textos, 2015.

São Paulo. Lei no 997, de 31 de maio de 1976. Dispõe sobre o controle da poluição do meio ambiente. Disponível em: <https://www.al.sp.gov.br/repositorio/legislacao/lei/1976/lei-997-31.05.1976.html>. Acesso em: 12 nov. 2018.

Silva, J. F. P. Responsabilidade social e meio ambiente: a contabilidade como ferramenta essencial ao desenvolvimento sustentável. Revista Brasileira de Gestão Ambiental e Sustentabilidade, v. 6, n. 12, p. 67-80, 2019. https://doi.org/10.21438/rbgas.061205

UN - United Nations. Report of the United Nations conference on the human environment. Stockholm: UN, 1972. Disponível em: <http://www.un-documents.net/aphe.pdf>. Acesso em: 15 out. 2018.

UN - United Nations. Resolution adopted by the General Assembly (A/RES/55/2). New York: UN, 2000. Disponível em: <http://undocs.org/A/RES/55/2>. Acesso em: 20 out. 2018.

Viola, E. J.; Leis, H. R. A evolução das políticas ambientais no Brasil, 1971-1991: do bissetorialismo preservacionista para o multissetorialismo orientado para o desenvolvimento sustentável. In: Hogan, D. J.; Vieira, P. F. Dilemas socioambientais e desenvolvimento sustentável. Campinas: Editora UNICAMP, 1995.


 

ISSN 2359-1412