Revista Brasileira de Gestao Ambiental e Sustentabilidade (ISSN 2359-1412)
Bookmark this page

Home > Edições Anteriores > v. 6, n. 13 (2019) > Aguiar Junior

 

Vol. 6, No 13, p. 273-285 - 31 ago. 2019

 

Geoturismo no nordeste goiano: uma alternativa à geração de renda e a importância do inventariado



Paulo Roberto Ferreira de Aguiar Junior e Juliana Ramalho Barros

Resumo
O Geoturismo é um segmento do turismo que vem sendo estudado mais especificamente a partir dos anos 2000, visto que este tem como principal atrativo a Geologia e a Geomorfologia. O objetivo deste artigo é apresentar este segmento para dar alternativa de renda á população do Município de São Domingos, Estado de Goiás, Brasil, assim como estabelecer o inventariado como ferramenta principal para o desenvolvimento desse segmento. Além de ser uma forma de conservação da paisagem. O presente artigo se substanciou em pesquisas bibliográficas acerca da região, bem como dados das instituições formais para produção de produtos cartográficos, além de duas visitas a campo para as devidas observações e registros fotográficos. Tendo como resultado a confirmação de que o município tem potencial para atrair turistas com base nas suas belezas cênicas e por conseguinte gerar renda para população local.


Palavras-chave
Turismo; Turismo sustentável; Geração de renda.

Abstract
Geotourism in Northeastern of Goiás State, Brazil: An alternative to income generation and the importance of the inventaried. Geotourism is a segment of tourism that has been studied more specifically since the 2000s, since it has as its main attraction Geology and Geomorphology. The objective of this article is to present this segment to give an alternative income to the population of the Municipality of São Domingos, Goiás State, Brazil, and to establish inventory as a main tool for the development of this segment. besides being a form of conservation of the landscape. The present article has been substantiated in bibliographical researches about the region, as well as data of the formal institutions for the production of cartographic products, besides two visits in the field for the appropriate observations and photographic records. Having as a result the affirmation that the municipality has the potential to attract tourists based on its scenic beauties and therefore generate income for the local population.


Keywords
Tourism; Sustainable tourism; Income generation.

DOI
10.21438/rbgas.061302

Texto completo
PDF

References
Alkmim, F. F. O que faz de um cráton um cráton? O cráton do São Francisco e as revelações almeidianas ao delimitá-lo. In: Mantesso-Neto, V.; Bartorelli, A.; Carneiro, C. D. R.; Neves, B. B. B. (Org.). Geologia do continente sul americano: evolução da obra de Fernando Marques de Almeida. São Paulo: Beca, 2004. p. 17-35.

Aranha, R. C.; Guerra, A. J. T. (Org.). Geografia aplicada ao Turismo. São Paulo: Oficina de Textos, 2014.

Barreira, C. C. M. A. Vão do Paranã: estrutu-ração de uma região. Brasília: Ministério da Integração Nacional; Goiânia: UFG, 2002.

Barreto, M. Manual de iniciação ao estudo do Turismo. 13. ed. Campinas: Papirus, 2003.

Beni, M. C. Análise estrutural do turismo. 5. ed. São Paulo: Ed. Senac, 2001.

Bertalanffy, L. Teoria Geral dos Sistemas. Petrópolis: Vozes, 1973.

Brilha, J. Inventory and quantitative assessment of geosites and geodiversity sites: A review. Geoheritage, v. 8, no. 2, p. 119-134, 2016. https://doi.org/10.1007/s12371-014-0139-3

Brilha, J. Patrimônio geológico e geoconservação: a conservação da Natureza na sua vertente geológica. Viseu: Palimage, 2005.

Dowling, R.; Newsome, D. The scope and nature of geotourism. In: Dowling, R.; Newsome, D. Geotourism: Sustainability, impacts and management. Oxford: Elsevier, 2006. p. 3-25. https://doi.org/10.1016/B978-0-7506-6215-4.50009-9

EMBRATUR - Empresa Brasileira de Turismo. Anuário Estatístico EMBRATUR - 2006. Brasília: Ministério do Turismo, Instituto Brasileiro de Turismo, 2006. v. 33. Disponível em: <http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/2016-02-04-11-53-05/item/download/333_d73782bbd0161c1bf27f89ed0cf5f66d.html>. Acesso em: 05 jun. 2018.

Goiás. Lei no 10.879, de 7 de julho de 1989. Cria o Parque Estadual de Terra Ronca. Disponível em: <http://www.gabinetecivil.go.gov.br/pagina_leis.php?id=5399>. Acesso em: 20 maio 2018.

Guerra, A. J. T.; Cunha, S. B. (Org.). Geomorfologia e meio ambiente. 5. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

Guerra, A. J. T.; Marçal, M. S. Geomorfologia ambiental. 6. ed. Rio de Janeiro: Bertrand, 2014.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Brasil/Goiás/São Domingos. 2018. Disponível em: <https://cidades.ibge.gov.br/brasil/go/sao-domingos/panorama>. Acesso em: 15 maio 2018.

Latrubesse, E. M.; Carvalho, T. M. Geomorfologia do Estado de Goiás e Distrito Federal. Goiânia: SIEG, 2006. (Série Geologia e Mineração; 2). Disponível em: <http://www.sieg.go.gov.br/downloads/Livro_geomorfologia.pdf>. Acesso em: 20 maio 2018.

Limberger, L. Abordagem sistêmica e complexidade na Geografia. Geografia, v. 15, p. 95-109, 2006.

Lobo, H. A. S.; Verissimo, C. U. V.; Sallun Filho, W.; Figueiredo, L. A. V.; Rasteiro, M. A. Potencial geoturístico da paisagem cárstica. Revista Global Tourism, v. 3, no. 2, p. 1-20, 2007. Disponível em: <http://www.geoturismobrasil.com/artigos/Potencial Geoturístico da Paisagem Cárstica.pdf>. Acesso em: 15 maio 2018.

MTUR - Ministério do Turismo. O esplendor das cavernas de Terra Ronca. 2017. Disponível em: <http://www.turismo.gov.br/Últimas-notícias/7725-o-esplendor-das-cavernas-de-terra-ronca.html>. Acesso em: 20 maio 2018.

Nascimento, M. A. L.; Ruchkys, U. A.; Mantesso-Neto, V. Geodiversidade, geoconservação e geoturismo: trinômio importante para a proteção do patrimônio geológico. Natal: Sociedade Brasileira de Geologia,2008.

Neil, J. Wearing, S. Ecoturismo: impactos, potencialidades e possibilidades. Barueri: Manole, 2001.

Petrocchi, M. Turismo: planejamento e gestão. São Paulo: Fatura, 1998.

Piló, L. B. Geomorfologia cárstica. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 1, n. 1, p. 88 102, 2000. https://doi.org/10.20502/rbg.v1i1.73

SIEG - Sistema Estadual de Geoinformação. 2018. Disponível em: <http://www.sieg.go.gov.br/>. Acesso em: 25 maio 2018.

Trigo, L. G. G. A sociedade pós-industrial e o profissional em turismo. São Paulo: Papirus, 1998.

Vieira, L. C. A Formação Sete Lagoas (Grupo Bambuí) e as variações paleoambientais no final do Proterozóico. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2007. (Tese de doutorado).

UNWTO - World Tourism Organization. Annual Report 2015. Disponível em: <http://www.dadosefatos.turismo.gov.br/images/pdf/estatisticas_indicadores/UNTWO_Annual_report_2015.pdf>. Acesso em: 18 ago. 2018.

UNWTO - World Tourism Organization. Tourism highlights. 2017. https://doi.org/10.18111/9789284419029


 

ISSN 2359-1412